| |
|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 637806 { professores: 0 | editores de blog: 4 | editores de sites profissionais: 0 | usuários com coleções públicas: 27 }

Comentários
Canoa Quebrada

Documentário | De Guile Martins | 2009 | 13 min | SP

8 Comentários
Por Reinaldo Ras - Usuário | 13/11/2013

Surpreendente!Destaque para a cena do avô: super natural!!!
Por deisiane almeida dos santos - Usuário | 25/08/2011

Esse filme é massa!
Por Roney Freitas - Usuário | 23/08/2011

Guile, muito bom! Me sensibilizo sempre, muito forte o que pulsa. Gde abraço, querido, e obrigado por este filme tão sensível
Por Helder Corrêa Galvão - Usuário | 11/11/2010

Bem, vejamos. Há uma pré-disposição animosa do filho em relação ao pai. Ele não sabe qual o contexto do abandono e ainda o trata como um safado. Quando ao pai, a recepção é fria e de descarte. Apesar de não conhecer o filho, como pai, deveria ter dado melhor atenção, mesmo que o filho não tivesse nem ai, como de fato aconteceu. No fim, tanto fez como não fez conhecer que ele acusa.
Por Regina Igel - Usuário | 10/11/2010

Canoa Quebrada - interessante, diferente, original. Gostei muito. Não é do tipo que joga as cenas prontas e o pensamento completo. Como espectadora, participei. Parece paradoxal, mas o filme é angustiante e, ao mesmo tempo, calmo. Traz uma tranquilidade que incomoda. - A falta de luz no quarto do hotel é de um simbolismo universal, mas se apega à situação do rapaz como se fosse inaugurado ali. Filme realista e também poético. A cidade amanhecendo com os trabalhadores na madrugada, poesia pura.
Por João Menna Barreto - Usuário | 07/11/2010

Gostei bastante, em que pese achar que poderias ter explorado com êxito a questão da religiosidade neopentecostal. Uma abordagem criativa para um tema clichê e delicado, parabéns.
Por ana isabella lopes guedes - Usuário | 06/11/2010

O avô foi o melhor do filme.
Por Fatima Andrade - Usuário | 29/10/2010

O curta tem um tema bonito, mas é mt nostálgico. Falta interesse do personagem pai ou uma deixa no filme que nos leve a imaginar que haverá um futuro melhor no relacionamento de pai e filho.