| |
|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 739429 { professores: 2 | editores de blog: 6 | editores de sites profissionais: 0 | usuários com coleções públicas: 36 }

Comentários
6 Comentários
Por Thunder Bolt - Usuário | 27/08/2018

Existe uma problematização desse curta pelos pseudos "justiceiros sociais" que não conseguem visualizar a obra de uma forma artística, e sim apenas pela pauta racial que, convenientemente, os favorece. E se o personagem fosse branco? Seria ok retratar brancos como abobados também? Não se trata de uma questão de igualdade racial para essas pessoas, e sim uma sobreposição de privilégios pela força bruta e violência sobre o que eles defendem para todos os outros. Não há racismo nesse curta. Há sim um curta, normal, como qualquer outro, e com muito bom gosto. Sempre irá existir o "pelo em ovo" do extremista racial. É uma babaquice sem tamanho.
Por Dujardes Filho - Usuário | 31/08/2018

parabéns! Rodrigo! muitos detalhes, lembra muito os da Pixar, parabéns!
Por Alexandre Nuñez Tardin - Usuário | 01/09/2018

Parabéns pelo curta! E abaixo a insuportável geração Mi Mi Mi!!! Viva o Humor!!!
Por Jurandi - Usuário | 01/09/2018

Parabéns pela edição lindo filme você merece.
Por Lucas - Usuário | 27/08/2018

Impressionado com a qualidade desse curta! Um grande viva para animação brasileira! Leve, divertido e engraçado, muito bom!! Estão de parabéns!
Por Renata Martins - Usuário | 27/08/2018

Em apenas três minutos, os realizadores desse curta - Golpe Baixo -, conseguiram explicitar seu olhar racista. Em três minutos, anularam a contribuição dos atletas negros, como Maguila e Servílio de Oliveira, entre outros, na história do boxe brasileiro. Em três minutos, conseguiram reunir em apenas um personagem todos os estereótipos possíveis; negros abobalhado, burro e incapaz de limpar a própria bunda. Tudo isso, observado por uma plateia branca e ávida que aplaude do outro lado da tv. Assim como, os realizadores devem ter rido horrores durante a produção desse produto racista. Lamentável. Nossos atletas merecem respeito.