| |
|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 637765 { professores: 0 | editores de blog: 4 | editores de sites profissionais: 0 | usuários com coleções públicas: 26 }

Comentários
O Último Raio de Sol

Ficção | De Bruno Torres | 2004 | 18 min | DF

10 Comentários
Por luiz carlos locatelli - Usuário | 28/01/2010

José Dumont é Zé Dumont. Bruno Torres é Bruno Torres. E o resto é conversa.
Por Romanus Alves da Costa - Usuário | 28/01/2010

Toda ação tem uma reação. Isso ficou bem claro no curta. Onde jovens de classe alta acham que estão acima da lei e querem estar acima da sociendade.
Por John Land Carth - Usuário | 28/01/2010

O curta, que já assiti e recomendei a vários amigos, trás elementos interessantes para nós que vivemos ou convivemos nos arredores da capital federal. Não nos é desconhecido que alguns jovens da pequena burguesia de Brasília possuem este senso doentio de procurar divertimento, conforme os casos já bastante conhecidos do índio patachó, os assassinatos nas boates etc., recorrendo a humilhação dos mais humildes. O filme com o excelente Zé Dumont, mostra que nem sempre esse "divertimento" fica sem resposta. Oficial ou extra-oficialmente.
Por kleiber rodrigues alves - Usuário | 28/01/2010

É de arrepiar, sabendo que há uma guerra entre as classes sociais, o ódio está estampado nos rostos daqueles que vivem em lados opostos...
Por Frédéric L. W. Meunier - Usuário | 28/01/2010

É lamentável que alguém se preste a fazer um curta que atinge o Club de Regatas Vasco da Gama. Isso é um ultraje aos vascaínos, que repudiam o curta. O seu diretor foi no mínimo MUITO infeliz.
Por Vanderley Muniz - Usuário | 28/01/2010

Excelente, brilhante é a mente que se dispõe a criar com tamanha preponderância de raciocínio. Parabéns Bruno Torres. Pessoas como você enriquecem o patrimônio cultural da humanidade.
Por Claudeir de Oliveira - Usuário | 28/01/2010

Brilhante. Esse filme é contudente, e bastatante realista no retrato de uma sociedade brasileira com valores deturpados, principalmente pela arrogância de uma alta classe média com olhar preconceituoso e prepotente sobre as classes desfavorecidas e marginalizadas do país. A crença da impunidade faz com que esses jovens cometam barbaridades em nome de seus egos, contra pessoas desfavorecidas socialmente. O filme acaba sendo uma premissa de um futuro com grande conflito violento dentro da sociedade brasileira. Parabéns pelo excelnte filme.
Por Eudes Santos - Usuário | 28/01/2010

Olha, este filme é um obra cinematográfica e permite que digamos: prá ser o primeiro curta de um diretor, não precisa este ser uma merda!!! não precisa gastar dinheiro com fisiologismo experimentais doentios, e com a falta de criatividade que exerce a grande massa de "cineastas" de primeira viagem. "o cinema é a realidade a 24 quadros" ´Godard´ - Bem o que posso dizer é parabéns Bruno Torres, pela sua sensibilidade e realidade a 24 fps. Quero deixar aqui um adendo aos Srs. organizadores e júri de festivais, quando analisarem uma obra veja a produção, direção, todo o processo. Vejo que em vários festivais tem filmes que concorrem na mesma categoria só porque seu produto final tem a bitola do que pretende-se concorrer, meu amigo faça cinema não faça transfer, a obra é artística e não tecnológica, crie-se categorias para esse tipo de gravação!!
Por Dyanshirley Lessa da Rocha - Usuário | 28/01/2010

Gostei muito!
Por Fernanda Rocio da Silveira - Usuário | 28/01/2010

Maravilhoso. Realista, fibrante, ótima fotografia, roteiro, atores... Enfim, uma obra completa na minha opinião!! Valeu esperar e as premiações são merecidas!!