| |
|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 147 { professores: 0 | editores de blog: 0 | editores de sites profissionais: 0 | usuários com coleções públicas: 0 }

Comentários
Veja Bem

Experimental | De Jorge Furtado | 1994 | 6 min | RS

3 Comentários
Por Lúcia Ruduit - Usuário | 23/11/2016

O cheio que é um vazio. Milhares de ofertas e propagandas que nos remetes a... nada. A um vazio da vida baseada no consumo. O tempo do trabalho repetitivo também está cheio de nada, cheio de fazeres que circulam em torno do mesmo e não levam à criação. Minha sensação ao ver este vídeo foi de vazio. Talvez seja isto o que Furtado quis que víssemos bem: nossos vazios que cremos serem tão cheios.
Por Felipe Santos Dias - Usuário | 27/10/2014

A interpretação que eu tive sobre o curta é de que,na primeira parte,Jorge Furtado usa o poema de Drummond para listar centenas de tipos de propagandas que nós somos obrigados a ver no nosso cotidiano.Na segunda parte,em que o foco se torna o homem,suponho que ele tenta comparar o amor,sentimento tão grandioso e faminto(como é mostrado no poema de João Cabral de Melo Neto) a nossa vida rotineira de consumo,em que trabalhamos exaustivamente para comprar cada vez mais.Gostei bastante do curta e gostaria ouvir opiniões diferentes da minha
Por Antonio D. Carvalho - Usuário | 25/04/2012

Boa montagem trabalho, arte, amor. Imagens colorem O amor me comeu.