|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 100 { professores: 0 | usuários com coleções públicas: 0 }

Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.

Uma viagem no tempo da nossa música popular


Plano de Aula do Filme Álbum de Música | Documentário | De Sergio Sanz | 1974 | 10 min | RJ


O documentário de Sergio Sanz é uma experiência única. Leva-nos a uma viagem no tempo e ao encontro com grandes compositores de nossa música popular.
As cenas são em preto e branco, o que já provoca um olhar diferenciado principalmente para aqueles que têm pouca ou nenhuma familiaridade com este tipo de imagem. Os objetos que aparecem também são característicos daquela época e certamente muitos nunca viram uma máquina de escrever ou mesmo vitrola e discos de vinil.
Olhar para o cenário musical atual e buscar compositores, cantores que se inspiram nestes mestres da MPB é uma ótima oportunidade para se aproximar dois mundos muitas vezes tão distanciados.




Objetivos
Que os alunos:
 Reflitam, ampliem e avancem em seus conhecimentos sobre leitura e escrita.
 Compreendam que a escrita e leitura são atividades que atendem diferentes funções.
 Ganhem consciência da capacidade de serem produtores de textos mesmo antes de saber escrever convencionalmente.
 Compreendam a memória como construção conjunta, que contribui para a percepção do campo de possibilidades individuais, coletivas, comunitárias e nacionais
 Utilizem diferentes fontes de informação e recursos tecnológicos para adquirir e construir conhecimentos
 Respeitem as gerações anteriores percebendo no presente influências do passado.
 Usem a linguagem para melhorar a qualidade de suas relações pessoais, sendo capazes de expressar seus sentimentos, experiências, idéias e opiniões, bem como de acolher, interpretar e considerar os dos outros, contrapondo-os quando necessário
 Ampliem o universo cultural

Produto
 Elaborar um álbum musical que resgate história de vida dos compositores, composições, canções dos que foram mencionados no Curta. E gravar um CD com algumas das canções preferida do grupo
 Apresentar e doar para uma casa de 3ª. Idade o Álbum Musical.


Situação Didática
1. Apresentação do Curta Álbum de Música - Sergio Sanz

2. Conversar sobre o tema do filme, pontos apreciados, elos comuns entre as imagens observadas e o cotidiano dos alunos, aspectos diferenciadores conversar sobre os compositores que aparecem, e o conhecimento que os alunos possuem.

Orientação Didática:
Ao conversar com os alunos sobre o tema do curta o professor sensibiliza o grupo para aquilo que irá trabalhar. Ao ouvi-los abre espaço para crítica, para que teçam opiniões, estabeleçam relações com outras histórias já vividas ou conhecidas.
Levantar conhecimento do grupo a respeito dos compositores apresentados no curta, história da MPB.

3. Compartilhar idéia da elaboração do álbum de música para ser doado a uma casa de 3ª.idade.

Orientação Didática:
Esse é um momento importante em que o professor compartilha o produto a ser construído por todos. A intenção não é que ele imponha sua vontade e sim dê a sugestão abrindo espaço para conversa, negociação e ajustes que os alunos propuserem. A aprendizagem ganha sentido, pois todos, tanto professor como alunos, se relacionam entre si e acerca de um objeto de estudo, um objetivo comum.

4. Em pequenos grupos eleger um compositor e, ou, cantor mostrado no curta para pesquisar história de vida: principais composições, compositores e cantores atuais que se inspiraram neles.

Orientação Didática:
O trabalho em grupos é de extrema importância nas salas de aula. Os agrupamentos devem ser intencionais e planejados. O professor deve considerar o conhecimento dos alunos da língua, a produtividade ou não que um aluno provoca sobre o outro e a possibilidade de realização da tarefa.
Sabemos que se aprende melhor quando começamos a pensar junto, pois aprender supõe reconhecer o outro como forma de aprendizagem.
Ao considerar esses aspectos dificilmente o professor terá grupos improdutivos.
Neste momento os alunos serão convidados a escrever para lembrar dados, arquivar informações, organizando o texto em listas.

5. Eleger as fontes de informação (entrevistas, fotos, imagens de jornais, revistas da época, vídeos, CD, Internet...).

Orientação Didática:
Observar imagens, ler entrevistas, assistir vídeos, ouvir músicas para colher informações faz com que os alunos:
* aprendam a situar-se diante da informação, a partir de suas próprias experiências,
* envolvam outras pessoas nesta busca e assim passam a considerar que a aprendizagem não está apenas relacionada à escola
* compreendam que aprender é um ato comunicativo, pois necessitam da informação que os diferentes meios trazem.
* não esperem passivamente que o professor tenha todas as respostas.

6. Divisão de tarefas no subgrupo: definir nos pequenos grupos os responsáveis por buscar, recolher e organizar as informações.

Orientação Didática:
Ao propormos tarefas descentralizamos a figura do professor que atuará como um coordenador, facilitador. Além de instrumentalizar os alunos e oferecer conhecimento para que possam realizar bem as tarefas. Assim nos pequenos grupos enquanto uns se responsabilizam por selecionar entrevistas outros podem coletar imagens, fotos, e outros ainda poderão buscar vídeos, canções que ilustrem as vivencias apontadas pelos entrevistados.
Para isso é interessante que o professor traga para sala de aula boas referências de entrevistas realizadas em jornais, revistas. A leitura destas entrevistas pode fazer parte de um momento de leitura em voz alta pelo professor.
Outro tipo de texto que deve fazer parte das rodas de leitura são as biografias desses compositores, diários, relatos desse período da MPB que esta sendo pesquisado e assim os alunos se cercam de informações valiosas.

7. Cada grupo irá organizar as informações obtidas do compositor em forma de álbum.

Orientação Didática:
Para produzirem um bom álbum é preciso que os alunos entrem em contato com materiais de boa qualidade textual e de imagens, pois é desta forma que eles terão boas referencias no momento de produção textual. O professor pode evitar que eles se apóiem num repertório empobrecido e estereotipado ao trazer para sala bons modelos de álbuns.

8. Os alunos poderão eleger as canções que farão parte deste álbum e gravar um CD que irá como encarte do mesmo.

Orientação Didática:
O professor pode lançar mão do uso das tecnologias e que os jovens sabem tão bem. Caso a escola tenha um laboratório de informática todo este material poderá ser produzido no computador usando os programas que mais se adaptarem as necessidades.
O uso da Internet também colaborará com a pesquisas de imagens e sons entre outras.
Uma aprendizagem muito rica na busca e coleta de informações é aprender o que fazer com elas. Não necessariamente tudo o que for coletado precisará ser exibido. Nesse momento é preciso avaliar as melhores informações, as imagens mais interessantes, os relatos mais significativos.
Saber tratar a informação é distinguir o que é importante daquilo que não é tão relevante de acordo com o que esta sendo estudado.

9. Organizar o evento, selecionar o local para receber a doação. No dia da apresentação pode haver um momento para a exibição do curta Álbum de Música.

Orientação Didática:
Para uma proposta ser significativa é importante que se tenha uma visibilidade final do produto e a solução do problema compartilhado com as crianças. Ao final de uma seqüência ou projeto, entendemos que a criança aprendeu porque teve uma intensa participação que envolveu a resolução de problemas de naturezas diversas.
O resultado de um trabalho não deve ficar guardado num caderno, pastas ou fichários, mas sim ser exposto por meio de uma ação, como um sarau de poesias, apresentação de um teatro, seminários, exposições, por exemplo ou objetos concretos como livros, DVD, álbuns...Desta forma o conhecimento é transformado e tem um uso real e social.

10. Avaliação

Orientação Didática:
A avaliação deve acontecer ao longo de toda a seqüência, pois se acredita num processo no qual o aluno é convidado a se envolver e realizar diferentes tarefas. Olhar para sua capacidade em resolver problemas, criar estratégias, analisar e refletir sobre a língua portuguesa podem ser alguns critérios avaliativos.


Comentários
Para saber mais:

 PCN - Parâmetros Curriculares Nacionais, MEC.
 Gêneros Orais e Escritos na escola, de Bernard Schneuwly, Joaquim Dolz e colaboradores, publicado pela Editora Mercado das Letras.
 O Ensino da Linguagem Escrita, de Myriam Nemirovsky pela Ed. Artmed
 Escrever e Ler vol.2 ,de Luis M.Curto, Maribel M. Morillo, Maneul M. Teixidó, lançado pela Ed. Artmed.
 Ler e Escrever na Escola - O Real, Possível e o Necessário, de Delia Lerner, pela Ed. Artmed.

Pedagogo Autor do Plano de Aula
Renata S. Frauendorf


Formação: Pedagoga / Universidade de São Paulo. Psicopedadoga/ Instituto Sedes Sapientiae.
Atividades Profissionais: Consultora dos Programas Formar em Rede e Além das letras do Instituto Avisa Lá (SP).Consultora de projetos de formação para professores de Educação Infantil da Rede Pública, Particular e para educadores de Entidades Sociais. Psicopedagoga - Clinica SOMA - Campinas, SP. 9584198061
Publicações: Artigos Revista Avisa Lá: Estratégias de Leitura - Renata Frauendorf e Beatriz Gouveia - Avisa lá no.7 ano 2. Jul/01. Brincar com Água e Aprender na ação - Avisa Lá no.19 ano 5. jul/04. Um Computador na sala das crianças - Avisa Lá no.14 ano 4. abr/03. Lendas Brasileiras e Computador: uma mistura que dá certo - Avisa Lá no.27 ano 6 .Jul/06. Ilustradores de primeira - Avisa Lá no. 29 ano 7. jan/07. Entrevista - Revista Educadores em Ação - ano 5 no.7 . Jul/Dez 2007
Nível: Educação Infantil
Instituição: Instituto Avisa Lá e Clínica SOMA | | SP