Plano de Aula

A LINGUAGEM E O SEU DESENVOLVIMENTO

A Casa
18/04/2006
Língua Portuguesa
Ensino Fundamental I
Rubia Armelini


Discutir a importância e necessidade da linguagem escrita. Valorizar outras formas de linguagem. Garantir o espaço do brincar nas séries do ensino fundamental.
Objetivo: Discutir a importância e necessidade da linguagem escrita. Valorizar outras formas de linguagem. Garantir o espaço do brincar nas séries do ensino fundamental.
1ª Etapa - Assistir ao vídeo "A casa"

2ª Etapa - Em uma roda de conversa levantar com os alunos o que eles acharam do vídeo e discutir com eles a linguagem utilizada pelo palhaço para se comunicar "mímica".

Possíveis encaminhamentos para a roda de conversa:
É possível comunicar-se apenas por gestos?
Como os surdo-mudos se comunicam?
Esclarecer o que é LIBRAS.
Diferentes formas de se comunicar: oralmente, por escrito, através de gestos...

3ª Etapa - Propor uma brincadeira, onde os alunos precisem utilizar apenas a mímica para comunicar. Por exemplo: Cada aluno recebe uma mensagem para comunicar à turma através de mímica.

4ª Etapa - Discutir com os alunos as dificuldades de se fazer entender apenas por gestos e aproveitar esse momento, para destacar a importância da linguagem escrita. Nesta fase em que os alunos estão aprendendo a ler e escrever, é importante contextualizar que o código alfabético é uma criação do homem para suprir a necessidade de se comunicar.

5ª Etapa - Propor outras músicas para que as crianças tentem expressar-se através da mímica: Atirei um pau no gato, ciranda cirandinha, entre outras. É importante que essas músicas façam parte do repertório da turma com que se está trabalhando. O mais interessante é criar com os alunos uma lista de músicas para esta atividade. Essa lista poderá ficar exposta em um cartaz na sala, como um repertório de palavras estáveis que auxiliará a criança em outras atividades de alfabetização, em outros momentos.

6ª Etapa - Propor a escrita de uma sinopse do vídeo, contendo também a opinião da turma, como forma de aguçar a curiosidade de outros alunos para também assistirem. Essa atividade pode ser feita na forma de um texto coletivo, que depois é reproduzido em folhetos e distribuído aos demais alunos da escola.